Imagem Abertura

" Eu vejo os seus caminhos, e os sararei, também os guiarei e lhes tornarei a dar consolação e aos seus pranteadores. "

(Isaias 60:22)


A minha vida deve ser um livro aberto diante de Deus


introdução

1. (Sl.17) ? este salmo é uma oração de Davi. Ele não teria sido um homem segundo o coração de Deus se não tivesse sido um homem de oração. Davi era um mestre da arte sagrada da súplica.

2. Assim como o médico mantém um registro dos casos de seus pacientes ou o capitão do navio mantém seu diário de bordo, igualmente, Davi neste texto, presta conta de sua vida a Deus.

3. Assim como foi com Davi, eu e você temos que prestar contas a Deus, especialmente em nossa vida de oração. Diante desse fato, o título que dou a este salmo é: a minha vida deve ser um livro aberto diante de Deus.

fatos

1. Davi deseja permanecer integro diante de Deus ? (vs.1-5)

(a). Ele começa pedindo que o Senhor ouça o seu íntegro argumento, afirmando que sua oração provém de seus próprios lábios, que não enganosos, mas puros.

(b). Ele reconhece que Deus tem examinado toda a sua vida interior, e que diante das pessoas ao seu redor, no seu relacionamento para com elas, ele tem sido íntegro em seu proceder, em seu falar, em seu andar.

(c). O interessante, é que o salmista, sem nenhum medo ou constrangimento, abre as suas atitudes diante de Deus. Será que eu e você podemos fazer o mesmo diante do Senhor, com esta mesma ousadia e transparência? Pense nisso.

2. Davi deseja a proteção de Deus ? (vs.6-15)

(a). Davi deseja muito que Deus o proteja, pois ele tem inimigos, ele é vulnerável, por estar em constante perigo, pode perder a sua integridade, mas, não quer depender da sua própria habilidade para enfrenta-los. A sua fé está alicerçada no Senhor.

(b). Sabendo qual é o teor e poder dos seus inimigos, o salmista, apela para o poder de Deus, que será fundamental para derrota-los, pois se considera como menina dos Seus divinos olhos, cfe. a Sua divina promessa em (Dt.32:10).

(c). Dessa forma, o salmista então termina a sua oração, declarando que o foco da sua vida é o Senhor e a Sua justiça, bem como, a Sua santidade. E, é assim que a sua vida será guiada para sempre.

aplicação

1. (Mt.6:5-8) ? na época de Jesus, a prática da oração já havia se degenerado que precisava ser corrigida:

(a). a oração havia se tornado um exercício formal em vez de uma expressão livre: havia as orações oficiais para todas as ocasiões, tornando-se padronizadas, rotineiras e monótonas com lugares e horários definidos.

(b). as orações eram longas e prolixas(cansativas): cheias de repetições vazias sem sentido e clichês.

(c). a oração tornou-se motivo de orgulho: cheias de ostentação pública, de preferencia no meio da rua(ajoelhar, chorar, etc.)

2. Jesus então ensina que Deus-Pai nos ama e que conhece todas as nossas necessidades. Cada vez que oramos, estamos exercitando a nossa fé Nele e nas Suas promessas, bem como, aliviando as nossas ansiedades, deixando-as nas mãos Dele.

3. Deus odeia a hipocrisia, mas ama a realidade. É por isso que, apenas qdo estamos conscientes de Sua presença, a nossa oferta, a nossa oração, nosso jejum são reais. Em outras palavras, uma relação pessoal com Deus que não envolva relação com as demais pessoas é irreal.

4. Portanto, a verdadeira oração ouvida e atendida por Deus, se relaciona tanto com as nossas necessidades, quanto com as necessidades dos outros e nos devolve com uma nova vida em nossos relacionamentos diários.

5. Somente a oração pode dar-nos um senso de coerência neste mundo dividido, porque mostra-nos que a vida faz pouco ou nenhum sentido se tudo resumir-se a isto: ganhar dinheiro, praticar o sexo, edificar ídolos construindo um nome para nós mesmos através dos nossos bens materiais conquistados.

6. O vazio da abundancia material, a preguiça moral e espiritual de uma vida ocupada, só faz-nos famintos por algo mais profundo, tornamo-nos desejosos por um relacionamento pessoal com Deus, por recursos espirituais que fortaleçam nosso íntimo, e, por amizades duradouras.

7. A oração é o meio que Deus nos concede para sobrevivermos com este mundo pecaminoso, voltado e preocupado consigo mesmo, que com os seus 6 bilhões de pessoas, onde cada um busca ser o número um.

8. A rica comunicação entre nós e Deus, capacita-nos a desenvolver relações com as demais pessoas, como Ele relaciona-se conosco, tornando o mundo menos parecido com uma floresta repleta de animais selvagens e mais um reino de amizades.

9. Por intermédio da oração, podemos ser libertos das opressivas influências dos relacionamentos ruins, sejam do passado ou do presente. Podemos sustentar nossa dignidade humana e liberdade de nossa singularidade.

10. Isto é, por intermédio da oração, podemos preencher o vazio da vida moderna, abrindo o livro da nossa vida pessoal diante de Deus, de forma que, e ainda assim podemos amar outras pessoas.

11. Todavia, encontrar a Deus, por meio da oração, nem sempre é confortável, pois ela nos expõe ao caráter Dele, que se levanta contra a nossa própria iniquidade. Por isso o salmista Davi declara ao Senhor que ele tem sido íntegro em seu proceder, em seu falar, em seu andar diário.

12. Porque o pecado de falar mal, tratar mal do próximo provoca a desumanização do ser humano, levando a atos cruéis contra o semelhante em rebelião para com Deus. Com nossas bocas, nós somos rápidos em julgar e condenar, somos rápidos para cortar pedaços da pessoa, fazer doer muito a ponto de matar.

13. O que sucederia conosco se estas nossas palavras fossem registradas em um livro, e fosse aberto por Deus para avaliar a nossas orações e comunhão com Ele ou para nos conceder algo que pedimos?

14. Não podemos nos comportar diante de Deus da mesma forma que diante das outras pessoas. Nossa máscara deve ser removida diante Dele. Realizamos isso, melhorando a qualidade de nossos relacionamentos com Ele e com as demais pessoas ao nosso redor.

conclusão

1. A nossa vida é um livro aberto diante de Deus? Nós podemos dizer como Davi disse: Senhor faça uma inspeção com a minha vida e saiba que o Senhor só achará integridade? Os meus lábios são puros e encorajadores?

2. Porque estamos expostos a muitos perigos, precisamos da proteção do Senhor. A qualquer momento podemos entrar no rol dos desempregados, podemos sofrer um revés financeiro, podemos assistir a morte do cônjuge ou dos filhos.

3. Podemos cometer um escândalo, podemos sofrer uma crise de fé, podemos negar por três vezes o Senhor Jesus, podemos nos apaixonar por uma Bate-Seba, podemos amar mais o mundo do que a Deus.

4. Se somos tão vulneráveis assim, precisamos abrir a nossa vida diante de Deus e pedir-Lhe a Sua soberana proteção. Precisamos crer que a vida de oração é um chamado para trocarmos o menos importante pelo mais importante.

5. Entretanto, se desejamos muito que o Senhor nos proteja, Ele também deseja muito que obedeçamos aos princípios da Sua Palavra, e O adore e O sirva com dedicação. Ele deseja nos preencher com Seu amor, espírito e amizade.

6. Nós queremos que Deus nos guarde como as pestanas guardam a pupila dos nossos olhos e Ele quer que guardemos os princípios da Sua Palavra como às pestanas guardam a pupila dos nossos olhos, para tornarmo-nos seres humanos mais completos, renovados e curados, em nós mesmos e em todos os nossos relacionamentos.

7. Precisamos ter a nossa vida como um livro aberto diante do Senhor através da oração, e, pararmos de olhar para nós mesmos, tirando a máscara que gostamos de usar diante Dele e diante das pessoas, para ver-nos como Ele realmente nos vê.

8. O Senhor nos conhece por completo e nos compreende. Por trás desses olhos que tudo veem, existe um amor que aceita, cura, liberta e protege. Amém!


Por: Pr. Roberto Brito
Endereço
Rua Lagoa da Barra, 167
CEP: 08215-540 - Itaquera - São Paulo
Tel: 2205-3242 - 2079-0517 - 2071-2731
Domingo
Escola Bíblica Dominical (EBD) - 9:00h.
Tempo de Oração - 17:45h.
Culto de Celebração - 18:00h.

Quarta-Feira
Reunião de Oração - 20:00h.